quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Olhares


E os olhares tortos em minha direção
Como seres aprisionados em sua concepção
As línguas ardentes que discursam de mim
E as mentes fétidas que julgam minha vida

O que diferencia de mim?
Onde está o meu olhar? 
E pra onde aponta minha espada capaz de ferir a alma? 
E por onde caminha minha mente? 


Eu sou Deus?
Claro que não
Então porque somos assim,
A ponto de querer dar a luz a um ser proclamado em seu trono antes de nascer?
Em que sou melhor?

A verdade é que nada sou
E meu foco anda por caminhos erroneos
Preciso olhar para o alvo
É ser melhor sendo o menor

Nenhum comentário:

Postar um comentário