domingo, 30 de agosto de 2015

Não basta parecer ser, tem que ser!

1          1-      Queremos ser o que não somos.

Trata-se de tentar demonstrar para as pessoas aquilo que não somos. No caso do evangelho, percebemos que queremos demonstrar aos outros uma santidade que não temos e uma fé que não praticamos.
Para que a glória de Deus resplandeça em nossas vidas, devemos buscar ser de Cristo no dia a dia em santidade, reconhecendo nosso ser pecaminoso e deixar que Cristo trabalhe em nós.

Preço:

a          a)      Oração
b          b)      Jejum
c          c)       Leitura da palavra

Se não seguirmos estes passos, não poderemos ser e consequentemente, não demonstraremos ao mundo que somos dEle.

2- Queremos esconder nossa real natureza

Um dos maiores erros é não reconhecer a nossa natureza pecaminosa. Somos tão superficiais que não conseguimos aceitar que somos maus.
A palavra de Deus nos diz que todos pecaram e destituídos estão da glória do pai.
Reconhecer as nossas falhas, é um dos primeiros passos para deixar que Deus trabalhe em nossas vidas.
Como podemos dizer que Deus nos ajuda e que ele nos ama, se não reconhecemos que precisamos dele?

3          3-      Não conseguimos esconder quem somos.

Realmente não conseguimos esconder quem realmente somos.
Seria bem mais fácil, se jogássemos aberto, revelássemos a nossa fraqueza e a partir daí sermos transformado. Se fosse assim, todos veriam essa transformação e com certeza seriam alcançados por ela.
Mas o filme do Sherlock Holmes O jogo das Sombras, me trouxe uma realidade. Estamos tão preocupados em parecer ser o que não somos, que não conseguimos ter reações espontâneas.
Isso é uma grande verdade. Se analisarmos, veremos que nunca conseguimos adorar com verdade e intensidade quando isso não se passa de aparência.
Fechamos os olhos, falamos poucas palavras, mas fica evidente que não move nada, nem mesmo a emoção.

44-      As pessoas reconhecem quem somos.

Veja o que aconteceu com Pedro, mesmo negando a Jesus, as pessoas o reconheceram. Ele tentou ser o que não era, mas era notório a sua vida em Cristo.
Fica assim evidente que mesmo quando fingimos ser algo que não somos, não conseguimos esconder a nossa real condição.
Veja o que a bíblia nos diz em Romanos 12 , sobre a nossa marca em Cristo. Veja também em Marcos 16:17 sobre os sinais que seguiram aos que crêem.

55-      Livro aberto

Devemos ser um livro aberto e colocar nossas fraquezas em evidência para que os sinais de Cristo apareçam em nós.
O problema é que não estamos dispostos a revelar ao mundo nossas limitações e aí surge o personagem que muitas das vezes, não conseguimos sustentar em todas as esferas de nossos relacionamentos.
Penso muito na frase “estamos em obra”. Revelamos ao mundo que somos de Cristo e que estamos em obra, mas na verdade essa obra muitas vezes é somente na fachada.
Não deixamos que a obra se complete em nossas vidas.
Penso que a obra deve ser de dentro pra fora, mas a necessidade de ser alguém faz agente inverter as ordens das coisas e queremos primeiro parecer do que realmente ser.
O problema é quando vem a fiscalização da obra e depara com a belíssima fachada, mas ao ir mais fundo na parte estrutural, vê as enormes falhas. Assustam-se ao se deparar com o verdadeiro eu.
E eis aí o mau testemunho.
E, então, soltamos aquela bela frase com um belo sorriso amarelo. “Estamos em Obra”.

Conclusão

Devemos buscar a Cristo, sem a pretensão de parecer ser algo que não somos. Se entregarmos a nossa vida a Cristo de maneira integral, ele entrará em nosso lar, fará as obras necessárias e isso se refletirá em todas as esferas de nossa vida.








Nenhum comentário:

Postar um comentário